‘Sobremadeira’ do artista plástico Erasmo Amorim abre temporada de exposições do Centro Cultural Moriconi


‘Sobremadeira’ do artista plástico Erasmo Amorim abre temporada de exposições do Centro Cultural Moriconi

“É para falar um pouco sobre a vida”. É dessa forma que o artista plástico Erasmo Amorim começa a falar sobre a sua mais nova exposição “Sobremadeira”, que abre a temporada de mostras do Centro de Educação e Cultura Francisco Carlos Moriconi (rua Benjamin Constant, 682 – centro), nesta sexta-feira (07/02), às 19 horas, com entrada gratuita. A visitação segue até 28 de fevereiro (sexta-feira), das 9 às 19 horas.

Serão mais de 60 obras do artista que nasceu em Suzano. Os trabalhos foram confeccionados ao longo de 2019 e trazem – para além da produção em madeira – materiais reciclados coletados pelo próprio autor. A curadoria da exposição é assinada pelo também artista plástico Vinicius “Rippa” Mariano.

Ainda que a exposição tenha por si só um sentido dos materiais utilizados e o próprio nome já defina o que será visto, Erasmo tem uma certa dificuldade quando questionado sobre a definição dela. “É muito amplo. A madeira é só um plano de fundo para falar sobre sustentabilidade, sobre nossa relação com o meio ambiente. Eu faço com essa proposta mesmo, de falar sobre alguma coisa”, disse.

Erasmo marca como início de sua carreira artística a década de 80, quando realizou sua primeira exposição em Suzano. Para a coordenadora de Artes Plásticas da Secretaria de Cultura de Suzano, Aline Baliberdin, o trabalho de Erasmo é muito forte e expressivo. Ela explicou que a exposição parece procurar um significado para além do que o artista materializa, tornando isso uma mística. Aline acredita que Erasmo seja um dos artistas mais criativos em produção no município.

Algumas obras expostas são de artistas convidados. É o caso de um barco com quase dois metros de cumprimento, que foi feito pelo artista plástico suzanense Osvaldo Assis (in memoria) e restaurado por Beto Dorta. E há também peças da artista plástica poaense Mirian Mica Leocardo.

O secretário municipal de Cultura, Geraldo Garippo, reforça a ideia que a pasta tem por dever abrigar os artistas locais e conceder cada vez mais espaço para eles. Para ele, a arte nos aponta o caminhos para evolução da sociedade.