Memória Viva 5° Edição Pedro Nakamura e Juarez Araujó.


Memória Viva 5° Edição Pedro Nakamura e Juarez Araujó.

Pedro Nakamura Nasceu em 15 de dezembro de 1925 na cidade de juquiá. Pedro Nakamura foi registrado em Suzano e é um dos seis filhos de Zenryo e Kamado Nakamura. O casal veio do Japão para juntar-se ao avô Zentoku, que imigrara para o Brasil em 1908 no navio Kasato Maru. A família se estabeleceu na cidade de Suzano em 1927 e foi residir numa chácara do antigo bairro do Guayó, atual Jardim Vitória, onde cultivaram hortaliças, legumes e frutas. Pedro estudou no Grupo Escolar de Suzano até 1937, ano em que concluiu os estudos. Foi funcionário da filial suzanense da Cooperativa Agrícola de Mogi das Cruzes em 1942 e serviu o tiro de guerra em Mogi das Cruzes entre 1944/1945. Em 1946, a família trabalhou no transporte de produtos agrícolas para o mercado de São Paulo e do Rio de Janeiro, fixando residência na Rua Campos Salles. Entre 1973 e 2004, a família foi proprietária de um posto de gasolina na Rua Prudente de Moraes. Eleito vereador para a primeira legislatura, em 1949, foi reeleito nas eleições seguintes, até o ano de 1976, quando renunciou ao cargo. Secretário da mesa diretora da Câmera Municipal durante vários anos, Pedro foi seu Presidente no período de 1971 a 1973. Exerceu a vereança por idealismo, pois o cargo não era remunerado até 1975. Casado com Yoshi Hanashiro Nakamura, com quem teve quatro filhos, vários netos e bisnetos. Juarez Araujó Nasceu em 26/11/1930 em Garça- SP, passou a infância com os 6 irmãos na fazenda em que seus pais eram empregados. Influenciado pelo pai, assíduo leitor, tomou contato com o mundo da literatura. Na vida adulta tomou gosto pelas atividades artísticas e políticas, atuou em teatro amador e ingressou no Partido Comunista Brasileiro. Impôs-se um auto-exílio, após o golpe militar de 1964, passando a residir em regiões afastadas dos centros políticos e econômico do país. Em Belém do Pará, conheceu Maria de Lourdes Pacheco Braga, casando-se em 1972. Residiu nas cidades de São Paulo, Carinhanha-BA, Mongaguá-SP, Pouso Alegre-MG, instalando-se em definitivo em Suzano. Trabalhou como funcionário do Banco do Brasil, foi proprietário de uma fazenda em sociedade com o irmão, onde plantou algodão e criou gado. Ingressou no curso de licenciatura em filosofia da USP em 1995, aos 64 anos de idade, com o objetivo de auxiliar na formação político-pedagógica de jovens e adolescentes. A partir de 2005, trabalhou como auxiliar pedagógico da Secretária Municipal de Educação de Suzano colaborando na implantação das novas políticas públicas que norteavam a sua busca por uma sociedade mais justa e igualitária. Faleceu em 19/10/2010, deixando a esposa e cinco filhos e dois netos.